26.5.06

Rebuscando

Faz muito não tenho atravessado
a trave látega engolida
dourada e ja esquecida
do ódio, do azedume do passado
fímbria acre só presumida
mas ignorável no acostumado
fortuita sombra de dor mal vivida.

Assim mal vivida talvez permaneça
e se acomode no recôndido aquecido
do amor que envolve o já conhecido
tesouro incólume que desde a cabeça
à ponta dos pés e assim reprimido
me envolve no todo até que esqueça
a mim próprio como ser já contido.

Pois o já contido é o que não precisa
almejar nada e em sua completude
cabe inteiro no próprio ataúde
contruído de madeiro onde se incisa
todas as frases ditas amiúde
e de cujos significados não se precisa
o certo, o errado, o que aclara, o que ilude.


Esta foi a de aniversário! Nunca me divertí tanto escrevendo alguma coisa. Espero que outros possam divertir-se também.

2 comentários:

não importa disse...

seu blog é bem legal tambem pra ser sincero eu ate acho que é melhor que o meu valeu pelo comentario.

loba disse...

Já estive aqui, já li mas não soube o que dizer. Hj reli. E cheguei à conclusão que a sua linguagem não é pra qualquer um. Sua poesia tem profundidade e este poema trata de um tema que eu não associo a aniversário, viu? rs...
Beijos e beijos