7.12.06

A segunda híbris


A incógnita me burla onde quer que eu possa suspeitá-la. Assim que a percebo na sombra dos móveis ela se torna uma meia, camisa torcida, um trapo, qualquer coisa que expresse inocência fingida. Ela também se oculta nas novas manchas da parede depois da chuva. Se infiltra nos recôndidos, me aguarda num cesto. Mimetiza-se entre os pêssegos recém colhidos ou na tapeçaria pendurada no vão das portas. O que resguarda a memória do tronco de uma árvore alí ela se enrosca em volutas atávicas de quem há muito só sabe tocar as coisas com o todo de seu corpo. Pendura sua cabeça triangulada como o fiel da balança; assim todos os pêndulos me assustam como se ela os possuísse. Ela está na maneira como os líquidos viscosos se derramam. Ela mesma derrama-se em queda surda. O ar suspenso em meus pulmões ajuda-me na petrificação diante de sua sinuosidade. Só assim percebo-a além de sua contenção; fugindo à sua constrição. Petrificar-se é adormecer e também estar alerta à sua especificidade contínua, contígua.




foto: Luiz Felipe

7 comentários:

Anônimo disse...

Olha aí!
Escreves muito bem, sim!
Abção

Alex disse...

Adorei. Tudo tão detalhado, do pensamento, ao físico. Ótimo! :) abração.

Adonis disse...

Ôpa, conheço essa escultura. Ela está no Marco Zero aqui em Recife e é do nosso querido Brennand. Petrificada estava, petrificada continuou até que a eternidade he tirasse a existência...
Abraços.

Anônimo disse...

enquanto lia pensava... tantas coisas boas que estão perdidas por aí, pela net a fora...


te beijo

Taís Morais

Anônimo disse...

Caio, vai lá no Liperama ver a mensagem de Natal que fiz para os amigos.
Abração pra ti

Dora disse...

Fábio. Andava eu à procura de textos, pelos blogues, e encontrei esse: "a segunda híbris". Acho que foi um desafio e uma ameaça prá mim. Essa "incógnita" que perpassa pelos interstícios das coisas, justamente no vão em que as coisas não estão, me deixou em suspense...Porque eu sei a que se refere, mas a denominação que escolho (no meu caso...)é outra. E quanto a "petrificar-se" para percebê-la é justamente um jogo a que me entrego...O "desafio" foi apreender o significado oculto do texto e a "ameaça" se concretizou na impressão de que vc lê meu pensamento...rs
Aproveitando a data, desejo-lhe um 2007 repleto de inspiração! E de todas as venturas que você bem merece.
Beijo.
Dora

sotero disse...

Fábio eu sou a segunda hibris, so não sei se isso é bom ou ruim.
www.hibriscomercio.com.br